História

1921: Fundação

No dia 7 de setembro é fundada a "Schmelzbasalt AG" em Linz am Rhein, como uma joint venture da "Compagnie Générale du Basalte" e da "Basalt AG". O objetivo era a fabricação de basalto de fundição da jazida em Vettelschoss na província prussiana do Reno, como material de isolamento de acordo com o modelo francês. Prédios representativos foram construídos pelos arquitetos Mattar & Scheler.

1924: Início da produção em Vettelschoss

O desenvolvimento nos primeiros anos foi lento. O novo material diferenciava-se do francês devido ao basalto bruto que possuía outra origem e composição química. O material da França havia sido utilizado como isolador com sucesso no metrô parisiense.

Novos mercados foram explorados e os processos de fabricação melhorados, mas ainda se passariam alguns anos até a chegada do sucesso econômico.

1929: Interrupção

Dificuldades persistentes nas receitas, somadas à queda da bolsa de valores e à subsequente Grande Depressão Mundial, culminaram na interrupção da produção. A venda do estoque continuava e com isso, a procura por mercados adequados. Entre outras tentativas, procurou-se estabelecer o basalto de fundição como proteção contra ácidos na indústria química.

1935: Novos rumos

Quatro novas empresas decidiram arrendar a fábrica Schmelzbasalt AG em 19 de junho de 1935. A nova ideia comercial era a proteção contra desgaste industrial mas a comercialização progredia com morosidade. Após alguns meses, foi necessário interromper a produção novamente.

1937: O novo começo

Duas das quatro empresas saem do grupo. As outras duas lançam a  "Schmelzbasaltwerk Kalenborn – Dr. Ing. Mauritz Kommanditgesellschaft". Como  parceiro complementar e responsável assume Dr. Kurt Mauritz - avô de Dr. Conrad Mauritz, um dos atuais administradores.

1939: O começo

A empresa consegue a aquisição de clientes da mineração de carvão e indústria de aço. O basalto fundido de Kalenborn, ABRESIST, ganha destaque como proteção contra desgaste industrial. Como muitas outras empresas, a Kalenborn progride alavancada pela política de guerra.

1940: Valor e material

A indústria de armas consome todos os recursos de ferro e aço. Em muitas áreas, é possível substituir esses materiais por basalto fundido, como por exemplo, nas extrações de carvão e potássio, exploração de minérios ou coquerias ou nas usinas de hidrogenação, que se tornaram importantes e onde a gasolina sintética era fabricada. Para atender à crescente demanda, é construído na Kalenborn um forno de fundição que funcionava com uma capacidade mensal de 600 toneladas em três turnos.

1942: De arrendatários a proprietários

A Mauritz KG compra a fábrica da Schmelzbasalt AG.

1945: Fim da guerra = Fim da produção

Em março, a fábrica fica sob o fogo de artilharia na luta da travessia do Reno em Remagen. A produção sucumbe, os trabalhos de reparação precisam de um ano até a operação ser retomada.

1946: Necessidade e virtude

A retomada da produção ocorre sob grandes dificuldades. Os tempos eram difíceis, mas o trabalho dava esperança às pessoas. A solidariedade forjou a força de trabalho, o espírito de improvisação e a energia caracterizou a cultura corporativa e moldou sua identidade, que persiste até hoje.

Anos 50: O caminho para Europa

Operações de venda são expandidas através da abertura de quinze representações em todos os países da europa ocidental. No fim dos anos 50, a cota de exportações é de 35%. O nível de produção apresentado antes da Guerra é novamente atingido.

Anos 60: O mercado global

Nos anos 60, as operações de vendas são expandidas para os EUA, Índia e Austrália.

1969: Expansão da pesquisa e desenvolvimento

A expertise na fabricação de basalto fundido é estendida para outros materiais, como matérias primas metálicas e cerâmicas. Materiais termoplásticos também são pesquisados intensivamente.

1970: Troca de gerações

Falece Dr. Kurt Mauritz. Seu filho, Wonter Mauritz assume o lugar de sócio-gerente. Sua visão: estabelecer mundialmente a empresa Kalenborn como especialista em proteção contra desgaste à base de diversos materiais.

1974: 50 anos de basalto

Kalenborn festeja seus 50 anos de fabricação de basalto.

1976: Nova produção de produtos sintéticos

O próspero setor de revestimentos deslizantes plásticos é expandido. Diferentes termoplásticos - PE, PP e PVC - são utilizados no mundo todo sob a marca KALEN.

1977: Expansão nos EUA

Com a fundação da Abresist Corporation em Urbana (Indiana) é instalada uma fábrica de montagens para o mercado norte-americano. Uma distribuição reforçada e uma equipe de consultores técnicos fazem parte do empreendimento.

Anos 80: Materiais cerâmicos

O portfólio de materiais é ampliado com a introdução da proteção cerâmica contra desgaste como a alumina KALOCER, a zirconita KALCOR e o carboneto de silício KALSICA.

Anos 90: Internacionalização

Kalenborn Delma, Polônia1996Aquisição
Kalenborn Bazalt, Polônia2000Aquisição
Kalenborn Canada2002Aquisição
Kalenborn Asia, Cingapura2003Fundação
Kalenborn do Brasil2003Fundação
Kalenborn Refmon, Hungria2006Aquisição
Kalenborn OSW, Polônia2007Aquisição
Kalenborn Weartech Philippines2007Fundação
Kalenborn France2009Fundação
Kalenborn Technologies, EUA2011Fundação

 

Através da criação da rede de subsidiárias, estabelecemos produção própria e ampliamos nossa presença no mercado.

2014: Kalenborn como marca internacional

A rede corporativa global agrupa seus serviços sob a marca "Kalenborn" e comunica de maneira mundial e uniforme sua posição de líder de mercado, fornecedora moderna e internacional de soluções completas e de alta qualidade de proteções contra desgaste.

2016: Expansão do setor de pesquisa e desenvolvimento

A Kalenborn amplia os trabalhos de pesquisa própria. Em cooperação com institutos e universidades reconhecidos e com o apoio de ministérios, são realizados testes de materiais, de acordo com as normas internacionais.